21 de mar de 2009


“Cѳɳtɑʀɑɱ-ɱɛ ɛ ɛรquɛci
ѵi ɛ ɛɳtɛɳɗi
Բiz ɛ ɑpʀɛɳɗi”
CѳɳԲúciѳ

14 de mar de 2009

ɗɑtɑร cѳɱɛɱѳʀɑtiѵɑร ɱɑʀçѳ ɛ ɑɓʀiʆ

ɱɑʀçѳ

2 – Dia Nacional do turismo

3- dia do Meteorologista
7 - Dia Mundial da oração

8 - Dia Internacional da Mulher

10 – Dia do telefone

11 – Dia do motociclista

12- Dia da biblioteca

14- Dia Nacional da Poesia
15 - Dia da Escola

20- Inicio do Outono

21- Dia Universal do Teatro / dia Internacional contra discriminação Racial

22- Dia Internacional da Água
27 - Dia do Circo
31 - Dia da Saúde e Nutrição


ɑɓʀiʆ

1º - Dia da Mentira
02 - Dia do Propagandista
06 - Sexta-feira Santa*
07 - Dia do Jornalismo | Dia Mundial da Saúde
08 - Dia da Natação | Dia do Correio
08 - Dia Mundial do Combate ao Câncer | Páscoa*
10 - Dia da Engenharia
13 - Dia do Office-Boy | Dia dos Jovens
14 - Dia Pan-Americano
18 - Dia Nacional do Livro Infantil | Dia de Monteiro Lobato
19 - Dia do Exército Brasileiro | Dia do Índio
21 - Tiradentes* | Dia da Polícia Civil | Dia do Metalúrgico
22 - Descobrimento do Brasil
23 - Dia de São Jorge
24 - Dia Internacional do Jovem Trabalhador
25 - Dia do Contabilista
26 - Dia do Goleiro | Dia da 1ª Missa no Brasil
27 - Dia da Empregada Doméstica | Dia do Sacerdote
28 - Dia da Educação | Dia da Sogra
30 - Dia do Ferroviário

11 de mar de 2009

Ensino de Astronomia na Escola Básica

Curso de Especialização para Professores

Ciências (Ensino Fundamental) e Física (Ensino Médio)

Informações Gerais
Curso: Especialização em Ensino de Astronomia - Ministrando Astronomia com Recursos Textuais e Experimentos

Público-alvo: Professores de Ciências do Ensino Fundamental II e Professores de Física do Ensino Médio

Carga horária: 360 horas, sendo 240 horas de aulas formais, 60 horas de campo e 60 horas de elaboração de monografia.

Justificativa: Com os Parâmetros Curriculares Nacionais e os seus complementos, os PCN+, e as novas propostas curriculares do Estado de São Paulo, a astronomia passou a ter papel de destaque nas disciplinas de Ciências no Ensino Fundamental e Física no Ensino Médio, enquanto, por outro lado, a formação dos professores atuando nessas disciplinas, na maioria das vezes, não prevê o ensino de tais conteúdos.

Objetivos: O presente curso visa a formação de profissionais capazes de projetar, produzir e utilizar materiais e recursos didáticos para o ensino de astronomia nas disciplinas de Ciências do Ensino Fundamental e Física no Ensino Médio, bem como de capacitá-los a realizar programas de formação para outros professores da rede de ensino.

Metodologia: O curso será baseado em atividades para a sala de aula, incluindo materiais experimentais, mídias, textos, entre outros. Os conteúdos serão desenvolvidos a partir das atividades sugeridas e outras que os próprios participantes serão estimulados a desenvolver e aplicar.

Período: 2 anos, de 23 de março de 2009 a 13 de dezembro de 2010, às segundas-feiras das 14:00h às 18:00h.

Custo: O curso é gratuito.

Vagas: São 30 vagas assim distribuídas:

• Professores de Ciências do Ensino Fundamental: 20 vagas

• Professores de Física do Ensino Médio 10 vagas

Do total, 25 vagas são destinadas exclusivamente a professores da rede pública de ensino municipal ou estadual no ensino regular.

Requisito: Diploma de licenciatura plena em qualquer área.

Seleção: Haverá uma lista de prioridades que seguirá os critérios a seguir, pela ordem:

1. Participantes do grupo "Projeto Ensino Público" M.A.R.T.E. EACH / Estação Ciência / FAPESP têm vagas garantidas, além das 30 acima mencionadas.
2. Professores efetivos em Ciências (Ensino Fundamental) ou Física (Ensino Médio) da rede pública municipal (municípios do Estado de São Paulo) ou da rede pública estadual de São Paulo, com prioridade:
+ aos que estejam atuando como formadores nas diretorias de ensino, limitados a 5 vagas por disciplina, condicionadas a oferencimento de programas de formação por esses profissionais a outros professores da rede.
+ aos com menor tempo de magistério.
3. Participantes do curso "Física no Ensino Fundamental", oferecido em 2008.
4. Egressos recém-formados de cursos de Licenciatura Plena em Ciências para o Ensino Fundamental.
5. Professores atuando na zona leste de São Paulo ou nos municípios de Guarulhos, Itaquaquecetuba, Ferraz de Vasconcelos, Poá, Arujá, Suzano e Mogi das Cruzes.
6. Professores que lecionaram Ciências ou Física (1ª série do Ensino Médio) nos últimos três anos.

Caso os organizadores do curso julguem necessário, haverá entrevistas no processo seletivo.

Certificado: Os participantes com frequência igual ou superior a 85% e nota igual ou superior a 5 receberão certificados de Especialização em Ensino de Astronomia fornecidos pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP.

Locais: As aulas serão ministradas no seguintes locais

*
Escola de Artes, Ciências e Humanidades (USP Leste). Rua Arlindo Béttio, 1000 - Ermelino Matarazzo
*
Estação Ciência. Rua Guaicurus, 1394 - Lapa.

Informações:

Telefone: (11) 3673-7022 ramais 226 ou 224 (Estação Ciência / Mão na Massa)

Telefone: (11) 3091-7187 (Instituto de Física / Ludoteca)

Condições:

*
Todos os materiais didáticos (atividades, fotos, textos, vídeos, etc) produzidos pelos participantes do curso -- exceto as monografias de conclusão -- terão, mediante contrato assinado, seus direitos cedidos à Universidade de São Paulo, que poderá, a seu critério, disponibilizá-los na forma que julgar conveniente.
* As monografias de conclusão do curso serão disponibilizadas publicamente em bibliotecas e mídia digital..
* O curso envolve atividades de pesquisa, o que irá implicar em gravação audiovisual de todas as aulas e na solicitação de registros escritos. Esse material será usado em relatórios de pesquisa, artigos científicos e teses.. Eventualmente poderá ser solicitada ao participante, com sua autorização e da direção da unidade escolar, a tomada de dados em ambiente de sala de aula.
* Espera-se do professor a aplicação em sala de aula de pelo menos parte das atividades desenvolvidas no curso e relato dos resultados, aspecto essencial que será levado em conta na avaliação

10 de mar de 2009

Frase do dia...

“Todo conhecimento começa num sonho. O conhecimento nada mais é que a aventura
pelo mar desconhecido, em busca da terra sonhada. Mas sonhar é coisa que não
ensina. Brota das profundezas da terra. Como mestre só posso então lhe dizer uma
coisa: Conte-me seus sonhos para que sonhemos juntos”.

(Rubem Alves)

Acordo Ortogáfico

Acordo ortográfico

Língua Portuguesa.
Mudando, mas sempre nossa.
Como você sabe, haverá algumas alterações ortográficas na
Língua Portuguesa.
Nessa fase de transição,
é natural que surjam algumas questões. Por isso,
para ajudar a tirar suas dúvidas,
criamos esse pequeno guia.
Afinal, a escrita
de algumas palavras pode mudar, mas a Língua Portuguesa
vai continuar sendo a melhor maneira de expressar o nosso jeito de ver e sentir o mundo.

O QUE FOI REFORMULADO

Alfabeto

Introduzem-se as letras k, w e y em nosso alfabeto,
que passa a ter 26 letras.

Trema

Deixa de existir, a não ser em nomes próprios estrangeiros e seus derivados.
Exemplo: mülleriano (de Müller).

Hífen

Não se usa hífen:
1 – Nas formações em que o primeiro elemento termina em vogal e o segundo começa com r ou s. Nesses casos, dobram-se o r ou o s.
Exemplos: antirreligioso, contrarregra, antissemita, contrassenha, cosseno.
2 – Nas formações em que o primeiro elemento termina em vogal e o segundo começa com uma vogal diferente.
Exemplos: antiácido, extraescolar, autoestrada, autoaprendizagem.
3 – Em certos compostos em que se perdeu a noção de composição:
Exemplos: paraquedas, paraquedismo, paraquedista.
Usa-se hífen:
Nas formações em que o primeiro elemento termina na mesma vogal com que se inicia o segundo.
Exemplos: anti-ibérico, arqui-irmandade, micro-onda, eletro-ótica.
Exceção: Nas formações com o prefixo co-, este se junta com o segundo elemento mesmo quando iniciado por o: coobrigação, coocupante, coordenar, cooperação.

Acentuação gráfica

Não levam acento circunflexo:
1 – As terceiras pessoas do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos crer, dar,
ler e ver e correspondentes formas compostas.
Exemplos: creem, descreem; deem; leem, releem; veem, reveem.
2 – As palavras terminadas em hiato oo.
Exemplos: abençoo, enjoo, povoo, voo.
Não levam acento agudo:
1 – Os ditongos ei e oi da sílaba tônica das palavras paroxítonas.
Exemplos: assembleia, ideia, onomatopeico, proteico, jiboia, alcaloide, heroico, paranoico.
2 – O i e o u tônicos das palavras paroxítonas quando precedidos de ditongos.
Exemplos: baiuca, boiuno, feiura.
3 – O u tônico das formas rizotônicas dos verbos arguir e redarguir.
Exemplos: arguo, arguis, argui, arguem; redarguo, redarguis, redargui, redarguem.
Acento diferencial

Não se acentuam mais:
• para (á) flexão de parar
• pela (é) substantivo e flexão de pelar
• pelo (é) flexão de pelar e pelo (ê) substantivo
• polo (ó) substantivo
• pera (ê) substantivo

Translineação

Repete-se o hífen:
Na mudança de linha, quando a partição de uma palavra composta ou de uma combinação de palavras em que há hífen coincide com o final de um dos elementos ou
membros, deve-se repetir o hífen no início da linha imediata.
Exemplos: ex- vice-
-alferes -almirante
serená- serená-los-
-los-emos -emos

O QUE PERMANECE

Hífen


Usa-se o hífen:
1 – Nas formações em que o segundo elemento começa com h.
Exemplos: super-homem, ultra-higiênico, extra-humano.
2 – Nas formações com circum- e pan-, quando o segundo elemento começa com vogal, m ou n.
Exemplos: circum-escolar, circum-murado,
circum-navegação, pan-africano, pan-mágico,
pan-negritude.
3 – Nas formações com ex-, pós-, pré-, pró-, sota-,
soto-, vice- e vizo-.
Exemplos: ex-diretor, pós-graduação, pré-escolar, pró-europeu, sota-piloto, soto-mestre,
vice-presidente, vizo-rei.
4 – Nas formações com inter-, hiper- e super- quando o segundo elemento começa por r.
Exemplos: inter-resistente, hiper-realismo, super-resfriado, super-romântico.
5 – Nos compostos com os advérbios bem e mal quando o segundo elemento começa por vogal
ou h.
Exemplos: bem-aventurado, bem-estar,
bem-humorado; mal-afortunado, mal-estar,
mal-humorado.
Obs.: Ao contrário de mal, bem pode não se juntar com palavras começadas por consoante.
Exemplos: bem-criado (malcriado), bem-falante (malfalante), bem-mandado (malmandado),
bem-nascido (malnascido), bem-visto (malvisto).
6 – Nos compostos com os elementos além, aquém, recém e sem.
Exemplos: além-mar, além-fronteiras,
aquém-Pireneus, recém-casado, recém-nascido,
sem-cerimônia, sem-número, sem-vergonha.

Acentuação gráfica

Mantêm-se as regras básicas de acentuação:
1 – Proparoxítonas
Todas são acentuadas.
Exemplos: ônibus, pássaro, romântico.
2 – Paroxítonas
Terminadas em r (açúcar), l (nível), n (hífen), x (fênix),
i/is (júri), us (vírus), um/uns (álbum), ão/ãos (bênção),
ã/ãs (órfã), ei/eis (jóquei), ps (fórceps), ditongo crescente (colégio).
Obs.: • Não se acentuam paroxítonas terminadas em ens (hifens).
• Não se acentuam prefixos paroxítonos terminados em i e r (anti-histórico,
super-homem).
3 – Monossílabas tônicas
Terminadas em a/as (pá), e/es (pé), o/os (só),
éi/éis (réis), éu/éus (véu), ói/óis (dói).
4 – Oxítonas tônicas
Terminadas em a/as (sofá), e/es (café), o/os (tricô), éi/éis (papéis), éu/éus (fogaréu), ói/óis (herói),
em/ens (refém).

5 – Casos especiais
a) Acentuam-se o i e o u tônicos dos hiatos, desde que sozinhos na sílaba ou seguidos de s (saída, faísca).
Obs.: Não se acentua o i tônico seguido de nh (fuinha, rainha).
b) Acentuam-se as terceiras pessoas do plural dos verbos ter, vir e correspondentes formas compostas.
Exemplos: têm, vêm (de “vir”), abstêm, advêm, contêm, detêm, obtêm, mantêm, provêm (de “provir”).
c) Mantém-se o acento diferencial (circunflexo) nas formas verbais:
• pôr (verbo), para se diferenciar de por (preposição);
• pôde (terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo), para se diferenciar de pode (terceira pessoa do presente do indicativo).